segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

MAIS UMA CARTA ÀS CHEFIAS, VISANDO O GOVERNO:



 Mais uma facada nas Forças Armadas, dada pelo PM mais sinistro dos últimos tempos, que gosta de se mostrar valente para quem não pode retaliar: os reformados e deficientes!!

 
To: gabcemgfa@emgfa.pt ; gabceme.chefegab@mail.exercito.pt ; gabcema@marinha.pt ; CEMFA ; CEMFA GAB
 'Continuam por parte dos membros de governo as atitudes de desconsideração , tentativa de humilhação e divisão com os Portugueses!
O último episódio aconteceu com a argumentação do Primeiro Ministro relativamente à Associação dos Deficientes da Forças Armadas, declarando que havia que utilizar outros meios de financiamento da Associação!
Talvez descobrir uns mecenas, digo eu!
Claro que tais declarações foram feitas com intenção, atirando mais uma acha para atingir as Forças Armadas, considerando este financiamento como mais uma “regalia” das Forças Armadas que tem de ser abolida!
É preciso ter lata, quando um Primeiro Ministro que não teve a coragem de acabar com os financiamentos das 350 Institutos e 299 observatórios, a maioria dos quais nem se sabe o que fazem, mas todos eles dirigidos por conselhos de administração com vencimentos entre 5000 e 14000 Euros, vem agora declarar que o financiamento da ADFA até é uma regalia !!!
Este PM, que nunca foi soldado, nunca arriscou a vida por Portugal e, portanto não foi ferido em combate, nem ficou com limitações para toda a vida, não sabe que é obrigação de um Estado decente, proteger e cuidar dos seus Deficientes das Forças Armadas e dignificar os Militares mortos em combate?
Não é de estranhar tais atitude pois este é o mesmo PM que quando visitou Moçambique honrou os combatentes da Frelimo mortos nos combates com as nossas Forças Armadas e nem sequer visitou o cemitério onde se foram sepultados vários Militares nossos mortos em combate!!

 Como Militar na Reforma, não percebo por que razão os Chefes Militares não reagiram a mais estas afrontas!
Como eu, muitos pensam que está na hora, de desafrontar as Forças Armadas e de os Chefes Militares  mostrar que sabem ser Generais a sério e que também sabem ser líderes!
Que tal um pedido de audiência ao Comandante Chefe e ao PM, para lhes dizerem apenas que chega de tentativas de enxovalho e desconsideração contra as Forças Armadas e os seus Mortos e Deficientes por parte do Governo!
Apenas dizer isto e nada mais!
E entregar a Suas Excelência a lista das razões pelas quais as Forças Armadas têm razões para acreditar que Portugal está em sérios riscos de ser destruído!
Há que dizer que as Forças Armadas também estão muito incomodadas com a falta de coragem para suspender o financiamento dos Institutos e Observatórios, a falta de resultados na luta contra a corrupção, a destruição do SNS e das escolas e universidades públicas, a falta de coragem para reduzir para juros razoáveis o que se está a pagar para as PPPs e as SWAPs, o dinheiro que o Estado está a investir para salvar o Bancos, dinheiro esse que os mesmos Bancos investem em obrigações do Estado e o corte  em meios materiais e humanos na Justiça e na Polícia Judiciária ao mesmo tempo que reforçam as capacidades de investigaçõo da PSP e da GNR!
E acima de tudo, a destruição de milhares de famílias que passaram a viver em profunda pobreza! 

José Alberto Morais da Silva'
....

Custa acreditar que um Ministro que se preze seja capaz de deitar por terra as Forças Armadas do seu País, como acontece em Portugal! Vemos a forma como os antigos Combatentes são acarinhados noutros Países, como lhes é concedida dignidade para viver, especialmente aqueles que a sorte das armas levou a que ficassem diminuídos nas suas capacidades físicas! Em Portugal... quantas são as infraestruturas criadas foram pensadas quanto às acessibilidades para os deficientes?
Angustia saber que os nossos governantes (?) estão absolutamente distanciados dos problemas dos Portugueses, não só os deficientes, velhos e doentes, crianças e cidadãos em geral! Quando se 'dá' uma esmola às Forças de Segurança (GNR e PSP) como 'Subsídio de Fardamento' e se esquecem que também os Militares têm obrigatoriedade de se apresentarem devidamente fardados e ataviados, conforme os Regulamentos, além de que estes também estão sujeitos a serviços de 24 horas... sem que lhes seja concedido subsídio por Serviço Extraordinário... estamos conversados!
Quem fez o 25 de Abril, 40 anos atrás, foi motivado pelo final da guerra, por parte de uns, mas também por cobardia e subserviências a ideais não consentâneos com a condição de Militares, como aconteceu com outros! Na altura utilizou-se a razão da força, mas hoje há a força da razão e empurrar os Militares de espinha direita, os que sentem a sua Pátria,  que juraram defender e honrar, a partirem para situações que levem à defesa dos seus direitos inalienáveis à dignidade, à saúde, à justa remuneração, à progressão na carreira que um dia escolheram para a sua vida, pois  o aprendiz aspira poder vir a ser mestre na oficina onde aprendeu o ofício!

Sem comentários: