sábado, 19 de novembro de 2011

MILITARES EM LUTA...

Porque esta é a nossa luta, apresento em transcrição o Mail recebido do  Comandante Fernandes Torres , também ele um Camarada em Luta acérrima:
"Exmos Senhores
Caros camaradas
 Reencaminho este email onde se anuncia mais uma jornada de luta contra as medidas governamentais que tanto prejuízo e preocupações nos tem trazido.
Em meu nome pessoal, apelo a uma participação massiva de todos os militares na efetividade de serviço, incluindo os oficiais, na certeza que essa participação será decisiva para o futuro das Forças Armadas, tal como as concebemos.
Se não fizermos nada, o processo de descaracterização da Instituição Militar continuará e cada vez se aprofundará mais. Infelizmente os decisores políticos dos últimos anos têm padecido de uma senilidade acentuada quando tratam das questões militares.
Só quem estiver muito distraído é que não se apercebe das grandes vitórias (e não pequenas como recentemente li) que as lutas dos militares na rua têm alcançado. Hoje, se ainda mantemos em vigor alguns direitos previstos na legislação que regula a Condição Militar, se ainda usufruímos de  direitos cívicos devidamente previstos na lei, se as nossas condições de vida não se agravaram ainda mais acentuadamente, deve-se a nós militares, à nossa determinação, às nossas atitudes em defesa da própria Instituição Militar.
Basta ver a reação de alguns políticos que nestas últimas décadas têm pontificado na vida política portuguesa, à nossa manifestação do passado dia 12. Para muitos deles, a dimensão desse evento, foi assustadora e trouxe-lhes uma grande insegurança que os faz pensar duas vezes antes de continuarem com os seus intentos.
Se outras não houvesse, esta manifestação vem provar de forma bem evidente, que não é com golpes militares, ou com violência que os militares devem intervir nos assuntos políticos do país. É respeitando as regras democráticas, é demonstrando publicamente as suas razões, é colocarem em evidência o seu descontentamento e o seu profundo sentimento patriótico,  mostrando a sua solidariedade com as populações.
Alguém, no passado, afirmou: A guerra é demasiado importante para estar apenas nas mãos dos militares.
Eu diria: As Forças Armadas são excessivamente importantes para estarem exclusivamente nas mãos dos políticos.
E, com estes políticos e a irresponsabilidade que têm revelado, toda a atenção é pouca.
Com os meus melhores cumprimentos
Cte Fernandes Torres"
 E-mail do Camarada Manuel Custodio de Jesus:
" Camaradas e amigos/as:
Assistimos nos últimos dias a uma tentativa de desvalorização da Manifestação da Família Militar por parte de alguns comentadores habituais, "arautos do regime" que, nas suas palavras, "descontando familiares e pessoal na reserva e reforma, estariam apenas uns 3000 militares no activo, número alegadamente insignificante perante o efectivo total das FFAA". Se a nossa mobilização e unidade não incomodasse, não viriam tão prontamente procurar desvalorizar aquilo que as imagens e os números não deixam desvalorizar!
Por outro lado, na Reunião de Órgãos Sociais da ANS em que decidimos esta jornada, foi também relembrado que em Novembro de 2008, o então MDN Severiano Teixeira foi obrigado a vir à televisão desdizer-se, de um dia para o outro, pois tinha afirmado desconhecer mal estar nos quartéis por via da tentativa de alterações a introduzir no Suplemento da Condição Militar, e uma Jornada de Reflexão à hora de almoço com uma adesão superior a 90% em todo o País, obrigou-o a arrepiar caminho.
Mas, mais do que o tipo de acção envolvida, hoje uma manifestação, amanhã uma vigília, depois uma falta ao almoço,  o que importa é a forma firme, determinada e coesa com que as fazemos.
Por isso importa apelar à unidade dos camaradas para a adesão a esta, e às que se seguem: dia 30NOV ida à AR e Vigília frente ao PR.
No dia 24 de Novembro vamos usar a nossa hora de almoço para, abdicando do direito à refeição, ficarmos nos nossos locais de trabalho ou de convívio durante a hora de almoço, discutindo e reflectindo sobre todas as malfeitorias que nos têm estado a ser impostas (a que se soma a vergonhosa forma de aplicação da sobretaxa extraordinária sobre o Subsídio de Natal), dando assim mais um sinal claro de que é ao Povo Português que devemos lealdade jurada, e não a interesses económicos, nacionais ou estrangeiros, nem sempre muito claros, e que estamos profundamente preocupados com a descaracterização da Instituição Militar."

domingo, 13 de novembro de 2011

MILITARES EM LUTA...



                                   DEBATE
Fórum Romeu Correia - Almada



19.NOV.2011 15H00

                                   
As FFAA têm sido atacadas. Porquê?                                   Os militares perdem direitos. Porquê?
----------------------------------------------------------------------
Procuram desprestigiar as FFAA. Porquê?                    Os militares têm sido humilhados. Porquê?
-------------------------------------------------------------------- 
Neste debate tentaremos encontrar as respostas.
 Participe!
     As Forças Armadas face ao Futuro
– Defesa e Segurança -
1)      O papel constitucional das Forças Armadas
– O modelo democrático:


a)      Da defesa e da segurança, sentido e razão
b)     A consagração constitucional e os desvios atuais
c)      Quem defende os defensores da Constituição
Moderador – COR Duran Clemente
Intervenções - CMG  Lopes de Mendonça, COR Diniz de Almeida COR Emanuel Pamplona

2)     A deriva governamental sobre as Forças Armadas 
– O modelo autoritário:
a)      Da defesa e da segurança, da tentação á confusão
b)     Os responsáveis
c)       O modelo concentracionário e transição para a Força Armada
Moderador – CTEN Fernandes Torres
Intervenções - Associações Profissionais de Militares