quinta-feira, 29 de setembro de 2011

POLÍCIAS... AGORA AGARREM-OS, se podem!

Quando do PREC, logo após o 25 de Abril, quando valia tudo, mesmo o tirar olhos, assistiu-se a uma cavalgada frenética e sem freio pela aquisição dos tão afamados direitos à greve, com as promessas das representações cívicas das Polícias e Forças Militares a jurarem por todos os santinhos das suas devoções, com a benção dos cardeais vermelhos de então, Cunhal e Otelo a darem força à luta contra a reacção... e a lançarem polícias uns contra os outros, na célebre acção dos "SECOS E MOLHADOS", e a aceitação da criação de assocciações defensoras das classes, dentro da PSP, da GNR e por aí fora.
Hoje, com um País a necessitar de união para vencer a tremenda crise que tem Portugal à beira do abismo, vêm os senhores clamar pela falta de dinheiro... que foi coisa que nunca existiu nos meus tempos difíceis a servir nas fileiras do Estado Novo. Se fazia barulho... calculem o que me acontecia, mas havia sempre maneira de lutar.
Falam hoje do congelamento de vencimentos... mas não sabem que eu e os meus camaradas, na 1ª. Classe de Comportamento, com as Medalhas de Exemplar Comportamento devidamente homologadas, as Medalhas de Mérito Militar, as Medalhas das Campanhas, os Louvores e tudo aquilo a que um bom Militar fazia jus... estivemos mais de 18 anos a aguardar promoção! Mas não assaltámos o Ministério das Finanças a chamar gatuno ao Ministro! Fomos ensinados a respeitar, a ter disciplina... mas hoje não se sabe o que isso é nas organizações que deveriam ser exemplos de civismo para o Povo Português.
É por isso que quando acontece qualquer problema entre a Polícia e os cidadãos, havendo um uso desnecessário de força, foi sempre o civil que foi o mausão da festa. E o colega, que até nem estava presente no momento, jura que tudo foi como consta do relatório. Falta de disciplina, de valores, de carácter como aquele que era apanágio dos Guardas da PSP ou Soldados da GNR de então.
Apesar de o sindicato respectivo afirmar que os oficiais da PSP estão "perfeitamente cientes das dificuldades do país", recusa-se a que haja um tratamento diferente para estes e mostra "total disponibilidade" para "colaborar com o Governo" na resolução destas questões.
No entanto, Sindicato Nacional dos Oficiais de Polícia acrescenta que
se não forem encontradas "soluções a curto prazo", os oficiais de polícia estão "preparados para o endurecimento das formas de luta".
Os ânimos exaltaram-se ao final da tarde de ontem, quarta-feira, junto ao Terreiro do Paço, em Lisboa. Os cerca de dois mil profissionais dos serviços e forças de segurança tentaram aproximar
-se do Ministério das Finanças e só um cordão policial, de membros da Equipa de Intervenção Rápida da PSP conseguiu travar os manifestantes, que acabaram por desmobilizar.
"
Gatuno" gritavam os polícias que, desde quarta-feira se têm manifestado, exigindo ao Governo a colocação nas novas tabelas remuneratório em vigor desde 2010.
"
Nós só queremos o que é nosso por direito" apelavam na deslocação para o Ministério das Finanças.
O desfile era encabeçado por profissionais das forças de segurança fardados.
Foi para isto que aconteceu ABRIL de 1974?

domingo, 18 de setembro de 2011

DOM JANUÁRIO, BISPO FA's

- na TSF - JUN2001: - "D. Januário Torgal Ferreira, em entrevista à TVI, afirmou que os cortes orçamentais previstos para as Forças Armadas «são gestos de anti-patriotismo», tendo dito que «há certas horas em que não se deve obedecer»."
- na TSF - JUN2001: - " Recorde-se que no seu discurso de tomada de posse como bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança, Dom Januário Torgal Ferreira acusou o Governo de «incompetência» ao «promover cortes orçamentais de um dia para o outro» e terá posteriormente apelado à rebelião em declarações a uma estação de televisão."
D. Januário  recusa    a ideia de uma campanha contra a Igreja e o Papa a propósito dos crimes de pedofilia cometidos por "gente" da Igreja.
Os padres que falharam, e da forma ignominiosa como o fizeram, não são estes que estão contra o Papa? Não julgo ninguém, mas está provado objetivamente e aceite pelo próprio réu. Não são campanhas, não são calúnias, é a pouca vergonha instalada em alguns setores”, defendeu.
Apesar dos “avanços”, a Igreja tem dificuldade em “aceitar o pluralismo”, considerou o bispo.
«É preciso ter muito cuidado. Porque é nestas horas que se fazem grandes fortunas. E, sobretudo, é nestas horas em que os mais pobres ficam mais pobres e alguns ricos ficam muitíssimo mais ricos», disse o prelado no Funchal, à margem da comemoração dos 58 anos da Força Aérea Portuguesa.
-  Em entrevista a  Rosa Ramos, publicada em 26Junho10: - "Perguntado a respeito da lei que permite o “casamento” entre homossexuais em Portugal, o bispo D. Januário Torgal respondeu  que não concordava com o casamento homosexual (embora aceitasse a união legal), e foi ainda mais longe:
“Concordo e aceito um homem que viva com um homem e uma mulher que viva com uma mulher.”
Isso não o choca?” perguntou a jornalista    O bispo repondeu enfático: É evidente que não. A atitude que tenho de ter é a respeitabilidade.”
E deixou bem claro que não se referia a uma hipotética e quase impossível convivência casta de dois homens ou duas mulheres, que sentem  atração sexual recíprocas.  Afirmou que a Igreja acolhe os homossexuais … desde que não pratiquem a sua homossexualidade…”  usou até de ironia: “Com certeza que um casal homossexual não é um teórico, não é? E os afectos traduzem-se por essa prática (homossexual), por essa fusão psíquico-afectiva da unidade misteriosa que é o ser humano.”
Não me repugna nada ordenar mulheres”, afirmou D. Januário ...
D. Januário Torgal: «Tenho vergonha deste país»... «as pessoas estão desapossadas da sua dignidade»
D. Januário em todo o seu esplendor! Para ele é chique dizer mal, criticar gozar.... O povo ficou sem dignidade? Porque é um povo que teima em não aceitar as mudanças! Que continua alienado pelo futebol,  pelas novelas até às tantas da matina, pela subsidodependência de uns trocos para o  tabaquito e para a bica, sem que ninguém  o  obrigue a trabalhar, procurando diversão na fuga aos impostos ou no  cortar na casaca dos vizinhos...
Enquanto não lhe  tirarem tudo isso... o povo vai-se sentindo bem! Mas quando tiverem de  encarar os problemas e lutar, então estará tudo mal, porque isso dá muito trabalho!
É normal aparecerem aqui os supostos "donos da verdade e sabedoria " que não se coibem de dar ao povo aquilo que ele quer: o sensacionalismo barato! É a corja dos parasitas, os tais que não dispensam os milhares que lhe pagam... ainda que os não  mereçam.
Saberá alguém quanto ganha o Bispo das Forças Armadas? Pois... mas não dispensa os €€€!!!
QUE FALE MENOS... E TRABALHE MAIS PARA A PROMOÇÃO DA FÉ E NÃO PARA ACABAR COM ELA!