quarta-feira, 20 de abril de 2011

ALEGRAI-VOS!!! CRISTO ESTÁ VIVO!!!

+ Cada ano que passa, um grito ecoa no quotidiano das nossas vidas:



CRISTO, QUE ANDOU NA TERRA FAZENDO O BEM, REALIZANDO MILAGRES E ENSINANDO A ENCONTRAR O CAMINHO PARA A CASA DO PAI CELESTE, FOI PRESO, TORTURADO, PREGADO NUMA CRUZ, TRESPASSARAM-LHE O LADO COM UMA LANÇA, COROARAM-NOS COM ESPINHOS, FOI SEPULTADO... MAS ELE ESTÁ VIVO, POIS O CORDEIRO PASCAL IMOLADO PELOS PECADOS DOS HOMENS, RESSUSCITOU DOS MORTOS, COMO HAVIA SIDO PROFETIZADO!



E nós ressuscitamos com Cristo, conforme a nossa fé nos diz que acontecerá!



ATÉ LÁ, DESEJO-VOS UMA SANTA E FELIZ PÁSCOA DE JESUS CRISTO, NOSSO SENHOR E REDENTOR DA HUMANIDADE.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Helicópteros para o Exército

Cada vez me convenço mais que este País pensa em grande, em dar passadas maiores que as pernas, é megalómano com o dinheiro dos contribuintes a ter de chegar para todas as diatribes que vão passando pela mona dos nossos (des)governantes, que não se cansam de dar tiros nos pés a propósito das tomadas de posição inerentes aos gastos excessivos que vão praticando... a pontos de agora não haver dinheiro para vencimentos, estar o Fundo Social Europeu e o FMI a negociar uma ajuda a Portugal... mas o inefável Ministro da Defesa, que talcvez tenha um fundo de maneio muito maior do que alguns estarão a pensar, propõe-se adquirir 10 helicópteros para equipar o Exército.

Há um contrato de fornecimento que data de 2001, com um valor de 230 milhões de Euros para os 10 hélis, a que se devem acrescentar cerca de 270 milhões destinados a manutenção durante os 30 anos de vida dos aparelhos, peças sobresselentes e certificação de pilotos e mecânicos.

O Ministério da Defesa, alegando o corte de 40% na Lei de Programação Militar, diz ser imperativo reformular a calendarização do plano de entregas dos "zingarelhos" NH 90, com a garantia de que o Estado não sairá penalizado. Assim, as entregas ficam adiadas para os anos 2012 a 2017... precisamente o período mais sensível da crise que o País actualmente vive.

Depois... nem é crível aquilo que acabo de ter conhecimento: Alega o Exército que há necessidade de fazer obras de reformulação da área operacional das aeronaves... não sei o que entendem eles ser necessário mudar, porque quando a antiga Base Aérea nº. 3 foi entregue ao Exército estava pronta a operar aquele tipo de aeronaves, tendo nela sido efectuadas profundas obras de requalificação que a capacitaram para poder apresentar índices de eficiência bastante razoáveis... havendo apenas que atender chegada das aeronaves, à necessária formação e qualificação dos pilotos e mecânicos para os 10 hélis que o Exército pretende operar, pois o âmbito da sua cooperação com a NATO está a ser feita desde o princípio através da participação das Oficinas Gerais de Material Aeronáutico (OGMA), entre 2012 e 2014.

A grande interrogação é: NÃO ACONTECERÁ O MESMO COM OS HELICÓPTEROS QUE ACONTECEU COM O AVIÃO MILITAR EUROPEU A400M? SERÃO ENTREGUES OS 10 HELICÓPTEROS NH90 OU ACONTECERÁ O MESMO QUE COM O AVIÃO?

Até a Alemanha reduziu o número de encomendas, alegando dificuldades financeiras para a encomenda dos aviões. Portugal irá aguentar a encomenda? Neste momento o Exército tem 4 pilotos de héli, formados em Espanha, estando a aguardar o 5º. brevetado a breve trecho. Estão todos a voar na Empresa de Meios Aéreos (EMA) do Ministério da Administração Interna... e nenhum na Força Aérea. Acontece que eles necessitam de 21 pilotos, no mínimo, pois cada aparelho necessita de dois pilotos em simultâneo, para uma taxa de operacionalidade de 70%, pois os aparelhos em falta estarão parados para manutenção ou reparação. Sintomático.

Dos mecânicos, em número de 16, 10 trabalham na Força Aérea. Este organismo dá ainda ao Exército cooperação meteorológica e controlo do tráfego aéreo, tendo ainda a responsabilidade da investigação aos acidentes que futuramente possam acontecer com os hélis do Exército, por ser a Autoridade Aeronáutica nomeada em Portugal.

Esperamos para vêr... se bem que a UALE (Unidade de Aviação Ligeira do Exército mostra alguma relutância em se afirmar... porque o Governo tarda em se assumir: QUEREM OU NÃO DAR ASAS AO EXÉRCITO? QUANDO? SERÁ AGORA O MOMENTO, QUANDO NÃO HÁ DINHEIRO?